Domingo, 22 de Dezembro de 2019 - 09:22 (Colaboradores)

L
LIVRE

DEZ REFLEXÕES PARA 2020: NO ANO DO RATO

Confira!


Imprimir página

1.NA ÁREA DO PORTUGUÊS

Você prezado leitor que sempre está escrevendo, falando em rodas de amigos, fazendo palestras e dando aulas não pode e não deve continuar repetindo os mesmos erros de português, tais como:

POR QUE: usa-se o POR QUE desta forma ‘separado’, no início da frase, para se interrogar. Por que você continua escrevendo errado?

POR QUE: usa-se o POR QUE desta forma ‘separado, no meio da frase. Um outro caso muito raro do uso do POR QUEdesta forma ‘separado’ que a maioria erra no dia a dia. Então, vejamos: Você conhece aquela música ‘só eu seias esquinas por que passei’.(música Esquinas – Djavan). Este caso de POR QUE também se usa separado com o sentido de ‘pelo qual’, ‘pela qual’, ‘pelos quais’, pelas quais’.

No exemplo da letra mencionada, se pode substituir ‘só eu sei as esquinas pelas quais passei”

PORQUE: usa-se o PORQUE desta forma ‘junto’ para responder. Porque não tive oportunidade de aprender esta disciplina, somente agora.

PORQUÊ: usa-seo PORQUÊ ‘junto’, com ‘acento’ e precedido do artigo ‘o’ – com o papel de substantivo. Este é o PORQUÊ da verdade.

POR QUÊ: usa-se o POR QUÊ ‘separado’ e com ‘acento’ no final de frase. Esta é a minha explicação e está falado o POR QUÊ.

2.NA ÁREA DE MATEMÁTICA

Em regra geral, sempre que se fala em matemática a maioria das pessoas enruga a testa e tenta fugir do tema. Antes de tudo, observe as regras das potências:

25 x 92 = 2592 ou seja: 2 x 2 x 2 x 2 x 2 = 32; 9 x 9 = 81; 32 x 81 = 2.592.

Os números das bases (2 e 9) e expoentes das potências (5 e 2) que estão sendo multiplicados são os mesmos dos resultados na mesma ordem posicional. Existem centenas de coincidências destes casos na matemática.

3.NA ÁREA DA FILOSOFIA

Após Karl Marx participar do movimento revolucionário de 1848, na Alemanha, retornou em definitivo para Londres pelo resto da vida e contou para sobreviver com sua família com a ajuda generosa de seu grande amigo Engels.

Com sua esposa, duas filhas e uma empregada  as condições financeiras do filósofo se tornou gravíssima, ao ponto de se tornar insustentável. Não aceitava trabalhar em qualquer serviço, exceto aquele que tivesse a haver com seus princípios filosóficos e com aquilo que acreditava. Um detalhe muito curioso que marcou para sempre a biografia do filósofo Karl Marx: não foi aceito em nenhum teste para trabalhar em escritório devido a sua caligrafia ruim, com letras inelegíveis.

Quando surge o primeiro volume de Das Kapital, com Karl Marx ainda vivo, e este não teve acesso à publicação de sua obra por falta de condições financeiras. Mesmo reunindo uma grande documentação que transformaram em suas obras — o primeiro, segundo e terceiro livros que foram publicados com a ajuda de seu amigo e companheiro de tantas lutas Friedrich Engerl que os publicou após a morte de Marx (1983) nos anos 1885 e 1894. Os demais escritos em manuscritos escritos por Karl Marx foram publicados por Karl Kautsky, em 1904 e 1910.

Das Capital (em alemão) é um conjunto de livros, tendo o primeiro publicado em 1867 que faz uma análise do capitalismo, da mais valia, capital constante, capital variável, do salário e acumulação primitiva.

4.ÁREA SOBRE A VÍRGULA

Como sinal de pontuação a vírgula separa os elementos de uma frase ou para indicar uma pausa. Hoje, iremos mostras algumas regras chaves que te ajudarão a não mais cometer determinados erros que costumamos repetir no nosso dia a dia. Então vejamos:

Vamos mostrar 3 (três) regras básicas para o uso da vírgula:

Não se deve separar o sujeito do verbo.

⇒Eu, estou muito satisfeito com as notas do curso (errado.

⇒Eu estou muito satisfeito com as notas do curso (correto).

Assinar o VOCATIVO.

⇒Posso lhe socorrer Senhora?

⇒Senhora, posso lhe socorrer?

⇒Posso Senhora lhe socorrer?

VÍRGULA COM A CONJUNÇÃO POIS

⇒Ela dança muito bem, será pois dançarina de forró;

⇒Ela dança muito bem pois será dançarina de forró.

USA-SE A VÍRGULA

Emprega-se a vírgula para marcar intercalação. Vejamos:

Adjunto adverbial:

⇒A carne bovina, em consequência das exportações, vem aumentando de preço.

Da conjunção:

⇒Estão fabricando, todavia, uma grande quantidade de cerveja Brama Chopp;

Expressões explicativas:

⇒Os fazendeiros não querem abril mão de seus lucros, isto é, buscam o melhor preço da carne;

Adjunto adverbial:

⇒Após meio dia, todo o comércio fecha suas portas;

Objetos pleonásticos antepostos ao verbo

⇒Aos alunos estudiosos, não serão merecedores de bônus escolar;

Para separar entre si elementos coordenados, em numeração:

⇒Ela era uma jovem de 15 anos, alta,  magra e muito bonita.

⇒O vendaval levou árvores, desmoronou casas, e talhados, e pontes.

Para marcar elipse (omissão) do verbo:

⇒Não posso comer pizza, e vocês, churrasco e feijoada.

Com o nome do lugar anteposto às datas:

⇒Porto Velho, 20 de dezembro de 2019.

Para se utilizar um APOSTO:

⇒Rondônia, considerado o estado do Brasil que mais produz tambaqui no mundo, tem tudo para fazer que todos os piscicultores do Estado sejam prósperos e felizes.

Para se utilizar um VOCATIVO:

⇒Oh! Senhor  Luiz,  vai pra casa descansar.

USO DA CRASE

A crase é caracterizada como a fusão de duas vogais idênticas, com o emprego da preposição “a” com o artigo feminino “a” (s), com o “a” inicial referente aos pronomes demonstrativos – aquela(s), aquele(s), aquilo(s) e com o “a” pertencente ao pronome relativo a qual (as quais).

A crase deve ser emprega somente diante de palavras femininas.

USO FACULTATIVO DA CRASE

Depois da preposição até

⇒Fui até “à” praça (correta).

⇒Fui até “a” praça (correta).

Antes de nomes próprios femininos

⇒Entrega “à” Mariana, por favor.

⇒Entrega “a” Mariana por favor.

Antes de pronomes possessivos

⇒Mandou um presente de Natal “à” sua mãe.

⇒Mandou um presente de Natal “a” sua mãe.

Deve-se lembrar que não se deve usar crase antes da maior parte dos pronomes.

Vou a, volta da. Crase há!

⇒Vou “à” África. Volto da África. Crase há.

⇒Vou “a” Lisboa. Volto de Lisboa. Crase não há.

⇒Vou à Europa. Volto da Europa (usa-se crase).

⇒Vou a Bruxelas. Volto de Bruxelas (não se usa crase).

⇒Vou a Roma. Venho de Roma. Crase não há.

⇒Usa-se crase antes da palavra Roma quando se especifica que tipo de Roma.

⇒Vou à Roma dos Césares. Venho da Roma dos Césares (usa-se crase).

A FORÇA DA VÍRGULA

Em conformidade com a historiografia da História do Brasil, com registro de 1710 a 1711, na Capitania de Pernambuco, a Guerra dos Mascates foi considerada como um movimento nativista tendo como motivo os conflitos sociais, de cunho econômicos, entre senhores de engenho que atuavam em Olinda e comerciantes de Recife (mascates – forma pejorativa).


O mascate e seu escravo, de Henry Chamberlain

Na época, ocorreu uma grande imigração de portugueses, desembarcados no Porto de Pernambuco e praticavam o comércio livre de iguarias, tabaco, tecido de seda e outros produtos, em feiras livres, praças e calçadas dos dois principais centros comerciais da época —Olinda e Recife — ainda em estágios de vilas e províncias. Estes vendedores da época, em sua maioria portugueses, recebiam o cognome  de “Mascates” o nosso hoje tradicional camelô.

Conta a história que um comunicado recebido por lideranças dos comerciantes de Recife, em 1710, com a recomendação expressa pelas autoridades do Rei de Portugal, com o seguinte teor: NÃO INCENDEIEM OLINDA. Os comerciantes portugueses insatisfeitos com os constantes conflitos e a forte concorrência acirrada dos empresários e poderosos que atuavam em Olinda e, por conta própria, mudaram o teor da mensagem com apenas o uso da vírgula e passou a ser interpretada, de acordo com a nova grafia: NÃO, ENCENDEIEM OLINDA. E, assim, a cidade de Olinda foi incendiada e transformada em ruínas e escombros.

NÃO SE USA VÍRGULA

A vírgula não deve ser usada entre os termos essenciais e os termos integrantes de uma mesma oração.

⇒Entre sujeito e predicado

⇒Entre o verbo e os seus objetos

⇒Entre o objeto direto e o objeto indireto

A crase não deve ser usada entre de:

⇒Não se deve usar crase antes de palavra masculina.

⇒Não se deve usar craseantes de pronomes pessoais;

⇒Não se deve usar crase antes de nomes de cidades que não se utiliza o artigo feminino;

⇒Não se usa crase antes da palavra casa quando tem o significado do próprio lar;

⇒Não se usa crase antes da palavra terra quando tem o significado de solo;

⇒Não se usa crase antes da palavra terra quando tem o significado de palavras repetidas (dia a dia).

10. ANIVERSÁRIO DE ROMÁRIO TASSO

Ontém, 21 de dezembro de 2019, é uma data muito especial quando celebramos o aniversário natalício de ROMÁRIO TASSO, 7 anos de vida e de muitas alegrias e felicidades, ao lado de seus queridos pais,  Rodrigo Tasso e Crislaine Barbosa. Romário Tasso é um neto tão especial que faz do avô de gato e sapatos e nas horasde folga até de cavalo de corrida. Romário é um neto muito querido e eu sempre fala em alta e viva voz: ... meu amor da minha vida...!!!

Parabéns, Romário Tasso — que tenhas um aniversário com muita luz, muitos presentes, alegrias, amor, saúde e uma vida longo para complementar a alegria e a felicidade de toda tua família, parentes, amigos, hoje, amanhã e sempre. Feliz aniversário e um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo.

Antônio de Almeida Sobrinho escreve semanalmente nos seguintes Portais de Notícias e com matérias replicadas em diversas mídias sociais eletrônicas.

www.newsrondônia.com.br

www.gentedeopiniao.com.br

www.rondonoticias.com.br

www.emrondonia.com.br

Blogspot: ESPINHA NA GARGANTA

E-mail: almeidaengenheiro@yahoo.com.br

Fonte: Antônio de Almeida Sobrinho - News Rondônia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias