Quarta-Feira, 10 de Agosto de 2016 - 08:27 (Colaboradores)

L
LIVRE

NESSA GUERRA, SÓ QUEM PERDE SÃO OS DOENTES DE CÂNCER

PERGUNTINHA: Você sabia que nem todos os artistas dependem de verbas públicas, como os petistas que mamam nas tetas do Ministério da Cultura e que famosos como Suzana Vieira, Luana Piovani e Fagner fazem atos de apoio ao juiz Sérgio Moro?

A luta está longe de terminar. Um dos motivos é que os órgãos responsáveis pela liberação e apoio não tem interesse na pílula do câncer, por ser de baixo custo e fácil acesso. Hoje, o tratamento é muito mais lucrativo, para os hospitais e para empresas farmacêuticas, quando feito da forma convencional. Esse foi um resumo do que disse o senador rondoniense Ivo Cassol a um grupo de pessoas portadoras da doença, que foram visitá-lo em seu gabinete, dias atrás. Além de agradecer ao trabalho que Cassol vez realizando pela liberação da Fosfoetanolamina, a pílula do câncer, eles foram também ao STF, pressionar para que seja mudada a decisão que proibiu o uso do medicamento. Cassol disse ao grupo, ainda, que fez tudo que podia para ajudar na liberação imediata, que está comprometido com a causa, “mas por hora não há mais o que ser feito”. Ele sugeriu, contudo, que os pacientes, familiares e amigos devem se engajar na luta pela liberação, começando na própria cidade onde residem, através de depoimentos daqueles que já fizeram uso da Fosfoetanolamina e tiveram resultado positivo.

O medicamento, ainda experimental, teria representado avanços no combate a vários tipos de câncer, segundo doentes que o usaram. Mas a pressão de autoridades da área da saúde, médicos e laboratórios, que alegam que há riscos na ingestão da nova fórmula, já que ela não fora aprovada em testes com humanos, fez com que o STF suspendesse a autorização do remédio. Ivo Cassol liderou a luta pela liberação da Fosfoetanolamina, mas acabou sem ter mais poderes para fazer com que os doentes recebessem o tratamento, mesmo os com  câncer terminal, já que a ingestão, nesses casos, não teria como piorar o quadro. A briga vai longe. Os poderosos querem que as coisas se mantenham como estão. Os doentes e quem está ao lado deles pedem socorro. Enquanto isso, milhares de brasileiros estão morrendo com vários tipos de câncer. Um dia haverá a cura ou ela já está chegando, mas não pode ser entregue a quem precisa?

COMEÇANDO DE NOVO

Ele já foi senador, foi prefeito, foi deputado. Agora, recomeça sua carreira política pela base. Ernandes Amorim, o controvertido político de Ariquemes, está de volta à briga por um cargo eletivo. É um dos nomes escolhidos por seu partido, o PTB, para disputar uma cadeira na Câmara de Vereadores da sua cidade.  Segundo publicou nas redes sociais, Amorim diz que esse é o cargo lhe falta no currículo. E começa prometendo: “farei neste mandato uma verdadeira função que o povo espera , um mandato autônomo , com uma verdadeira trincheira da oposição defendendo o direito do povo”. Amorim sempre foi um nome controvertido na política, mas também nunca perdeu um eleitorado cativo. Veremos como vai se sair nesse novo desafio.

BOAS E MÁS NOTÍCIAS

O diretor do Dnit, Valter Casemiro, tem sido uma das autoridades mais visitadas por rondonienses, nos últimos dias. Membros da bancada federal posam para fotos com ele e com o ministro dos Transportes, seu chefe, para avisar que o viaduto do Trevo do Roque, em Porto Velho, finalmente será concluído. A verdade é que depois de tantos anos e tantas incompetências, parece que, finalmente, a obra será mesmo terminada. Ainda meio nas coxas, porque os imóveis da rua lateral, na altura do viaduto, jamais foram desapropriados. A má notícia – e sobre isso não há fotos nem declarações otimistas – é sobre os outros viadutos, aquelas anomalias incompletas na BR 364, próximo ao conjunto da Eletronorte. Sobre essas porcarias, ninguém fala quando serão concluídas ou demolidas...

DEBOCHANDO DAS LEIS

Certo da impunidade, os criminosos estão cada vez mais agressivos, destemidos, ignorando as autoridades e a lei. Nessa semana, mais uma prova disso. Um bandidão, armado, entrou dentro de uma sala de aula e atirou cinco vezes contra um aluno. Os demais colegas ficaram desesperados, alguns em estado de choque. É assim aqui e pelo Brasil inteiro. Debochando de leis pífias, espúrias e que defendem os direitos humanos dos bandidos, eles espalham o terror onde e quando querem. Daqui a pouco vão entrar em cultos e missas, para executar seus crimes, sabedores de que, se pegos um dia (porque só 10 por cento dos assassinatos são esclarecidos no país, em média), pegarão penas leves e em pouco tempo estarão nas ruas de novo. Uma vergonha!

AGOSTO DIFERENTE

O agosto das Olimpíadas é o mesmo agosto de novas ações policiais da Lava Jato e do impeachment de Dilma Rousseff e, igualmente, de mais denúncias sobre a participação do ex presidente Lula em malfeitos e desvios de dinheiro público. Em agosto, terminará finalmente essa baderna em que o país tem dois presidentes e nenhum dos dois manda de verdade. E deve dar início a uma nova temporada de otimismo e melhorias na economia nacional, que quase foi dilacerada pela irresponsabilidade do governo que, felizmente, tende a ir para o lixo da História. O agosto, mês das más notícias e das tragédias, pode ser diferente para o brasileiro este ano. Aliás, já começou bem, com o espetáculo de abertura das Olimpíadas. Agora, só falta nos livrarmos de Dilma, Lula e sua turma.

PEDIDO DE DESCULPAS

Eles continuam fazendo o que querem, como se fossem donos do Estado e da BR 364. Menos de 100 pessoas (deve ser todo o contingente do grupo), do tal Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), uma malandragem criada para arrancar a fórceps dinheiro de empresas que ousam tentar melhorar os serviços de produção de energia no país, fecharam novamente a rodovia, em Rondônia. Nenhuma autoridade interfere, para dizer que fechar a BR é crime, tira o sagrado direito de ir e vir das pessoas. Pois o MAB, quando quer arrancar mai$ algum, trata de interromper o tráfego na única rodovia federal que liga Rondônia ao Acre ou então nos acessos às usinas hidrelétricas. Só falta a Polícia ir até os locais fechados e pedir desculpas para o grupelho, como se ele tivesse o sagrado direito de fechar uma rodovia a hora que quiser. É uma vergonha. Tomara que também nesse quesito, as leis voltem a valer para todos os brasileiros, não só para alguns...

PERGUNTINHA

Você sabia que nem todos os artistas dependem de verbas públicas, como os petistas que mamam nas tetas do Ministério da Cultura e que famosos como Suzana Vieira, Luana Piovani e Fagner fazem atos de apoio ao juiz Sérgio Moro?

Fonte: sergio pires

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/nessa+guerra+so+quem+perde+sao+os+doentes+de+cancer/78685

News Rondônia