Domingo, 18 de Abril de 2021 - 09:50 (Colaboradores)

L
LIVRE

Fervilham os bastidores e surgem elucubrações: a sucessão estadual ainda pode trazer muitas surpresas

É bom que não se pense que todos os acordos de hoje valerão para o ano que vem.

Para o grande público, pode até parecer que não haverá eleição no ano que vem. Mas é bom que ninguém se engane: o assunto fervilha nos bastidores. Nomes e mais nomes têm surgido. Há claramente algumas alianças que estavam fechadas e correm o risco de serem rompidas. Há outras que não se imaginaria, mas estão andando. Os principais nomes continuam sendo o governador Marcos Rocha, que vai a reeleição; do senador Marcos Rogério, que sonha com o Palácio Rio Madeira/CPA e do prefeito Hilton Chaves, o trio que, ao menos nesse momento, é o que se poderia chamar de principais pré candidatos a assumirem o poder a partir de janeiro de 2023. Há claro, uma quarta opção: a do governador Ivo Cassol, que é candidatíssimo e só não o será se for impedido pela legislação eleitoral, embora haja otimismo entre ele e seus simpatizantes, de que seu nome será liberado para concorrer, no ano que vem. O senador Acir Gurgacz, que está deixando o Senado no final de 2022, pode também ser cotado. Afora esses, se poderia enumerar pelo menos mais uma meia dúzia de candidaturas viáveis. Há, ainda, outro nome importante, que anda sendo sondado por mais de um grupo: o do e senador Expedito Júnior. Ele não vai ao governo, mas ainda tem muito voto. Pode ser uma espécie de coringa, para onde pender. A verdade é que muita água ainda vai passar embaixo da ponte.

É bom que não se pense que todos os acordos de hoje valerão para o ano que vem. O que existe é muita conversa, muitas coisas alinhavadas, em tom de voz bem baixinho e negociações políticas intensas. Pode haver até algumas surpresas, coisa que ninguém imagina, hoje. Para o grupo que está no poder, a parceria com o presidente Jair Bolsonaro poderá ser decisiva, como o foi em 2018. Mas, numa elucubração política, o que seria melhor para os interesses do Presidente, em Rondônia? Ele garantiu apoio a Marcos Rocha, mas também tem no senador Marcos Rogério um aliado de grande importância. Como atender os interesses de ambos, não permitir que eles dividam o eleitorado e possam correr o risco de entregar o poder a um não aliado do atual governo central? Um experiente político comentou à coluna que Bolsonaro, quando chegar a hora, poderá levar Marcos Rogério para seu Ministério, colocando-o ao lado de Rocha e não contra ele. Seria possível? Muito difícil, mas não impossível, já que na política a palavra impossível não existe. Só que os demais candidatos – eles não serão poucos - certamente, já teriam contraveneno para essa hipotética situação. Tudo, é claro, ainda está no mundo da possibilidade. Lá em meados do primeiro trimestre do ano que vem, se terá um pouco mais de clareza, nesse quadro ainda obscuro sobre a sucessão estadual.           

COMÉRCIO REABRE NOS FINS DE SEMANA, COM PROTOCOLOS DE SEGURANÇA

Conforme esse Blog informou com exclusividade o que aconteceria, nesta sexta-feira, o governador Marcos Rocha assinou novo decreto, liberando o comércio também nos finais de semana, incluindo restaurantes e bares. Também o Porto Velho Shopping poderá reabrir com horário flexibilizado, tanto aos sábados como nos domingos.

As lotéricas, que estavam fechando aos sábados pela manhã, também voltam a atender normalmente, o que beneficia milhares de pessoas que não tinham, nesse horário, como retirarem benefícios sociais: Bolsa Família, Seguro Desemprego e, agora, o auxílio emergencial, que voltou. Os primeiros atendimentos do auxílio serão para quem nasceu no mês de maio. A reabertura definida pelo Governo, contudo, obriga a manutenção de todos os cuidados exigidos em decretos anteriores: atendimento presencial de apenas 30 por cento do público, uso obrigatório de máscaras e álcool gel e jamais com aglomerações. O apelo é para que tanto comerciantes quanto a população sigam rigorosamente as orientações, para que se possa impedir a proliferação ainda maior do vírus. 

CHEGARAM MAIS 40.150 VACINAS E META É APRESSAR IMUNIZAÇÃO

Temos, embora em números não oficiais, algo em torno de 1 milhão e 750 mil habitantes nesta terra de Rondon. Mais de 200 mil dessa gente toda, ou seja, quase 11,5 por cento, já foi infectada pelo Coronavírus. Temos um número próximo a 186 mil recuperados. Isso representa 10,6 por cento de todos os contaminados, que venceram o vírus. Como ainda não há consenso em torno do tratamento precoce, lamentavelmente, pela politização do tema, o que resta para a maioria da população é a vacinação. Neste final de semana, quando chegamos, até o sábado, a perto de 4.800 óbitos, no Estado, o Ministério da Saúde nos mandou mais 40.150 doses. São 16.400 Coronavac e 34.750 Oxford/AstraZeneca. Com isso, chegamos a 330 mil vacinas. Parte ainda será para divisão em duas partes, à primeira e segunda doses. Isso significa que milhares de rondonienses, depois de imunizados, mesmo que sejam atingidos pela doença, o serão com menor gravidade. Os vacinados, por números já comprovados, quando atingidos, o são por uma carga viral muito menor. Ela evita internações, intubações, ÚTIs, mortes. O governador Marcos Rocha, pelas redes sociais, anunciou a chegada das novas vacinas e fez um apelo aos prefeitos para que agilizem ao máximo a imunização do maior número possível de pessoas. "É importante as Prefeituras acelerarem. Não podemos ter vacinas em estoque. Nossa população pede urgência!", escreveu o Governador. 

O VÍRUS CAUSA MAIS CONTAMINADOS, MAIS MORTES, MAIS INTERNAÇÕES

Enquanto a vacinação em massa não chega, a situação no país e em Rondônia continua muito crítica. Em dez dias, do dia 9 até a sexta-feira, 16, por exemplo, tivemos 11.001 novos contaminados, numa média diária de acima de mil doentes. No mesmo período, ocorreram 389 mortes. A doença, que atingia muito mais idosos, recuou em relação a eles, imagina-se que até pela vacinação. São raros os internados com mais de 80 anos, já vacinados, que estejam internados ou nas UTIs. Tão raros como as vidas perdidas, nesta faixa etária, que foram os primeiros a serem protegidos pela vacina. Agora, a grande preocupação são os adultos jovens. É a eles que a doença tem atacado com violência. São os que têm tido sintomas muito agressivos da Covid; que têm sido internados e entubados e que estão ocupando grande parte dos leitos de UTI.

Só para se ter ideia da situação, já perdemos quase 550 rondonienses com menos de 45 anos. Enquanto isso, a doença não arrefece. Pelo contrário. No Boletim 393, deste sábado, foram registrados 428 novos casos; mais 51 óbitos, dos quais 18 em Porto Velho e, infelizmente, já registramos, no total, 4.788 vidas que se foram, perdidas para a pandemia.

ONZE DIAS PARA ENTREGAR UMA OBRA PÚBLICA HISTÓRICA

Onze dias. Falta apenas esse pouco tempo para que, finalmente, uma das mais importantes obras públicas já realizadas não só em Rondônia, como em toda a região norte, seja entregue oficialmente à população. A ponte sobre o rio Madeira, na Ponta do Abunã, tem 1.157 metros sobre o leito do rio, mas sua grandeza extrapola sua forma física. Ela se tornará o elo de ligação por terra, pela primeira vez na história, entre nossas fronteiras e nosso vizinho Acre, com todo o resto do país.

Mais que isso, nos levará até às praias e portos do Oceano Pacífico, por rodovias asfaltadas, saindo do extremo sul, no Chuí, fronteira com o Uruguai, até o Peru. Todos os detalhes finais da obra da ponte ficarão prontos até o meio desta semana. Ela já poderia, se o Dnit quisesse, ser aberta ao tráfego, deixando a festiva inauguração, com a presença do presidente Jair Bolsonaro, para a quinta-feira da outra semana, dia 29 deste mês. Há muito a comemorar com esta obra grandiosa, que começou em 2014, em ano da enchente histórica do rio Madeira e só termina agora, seis anos depois. Destaca-se aí, também, o trabalho da Madecon, empresa genuinamente rondoniense, que teve participação ativa nas obras da ponte.

OS SEM VOTO, QUE FAZEM FIASCO NAS URNAS, QUEREM TOMAR O PT

Os sem voto e sem público, os sem liderança alguma, alguns dos que querem agora tomar à fórceps o que restou do PT rondoniense, arvoram-se de donos da verdade, tentando impor a praticamente ninguém, suas ideias vãs, já que nenhuma utilidade tem, a não ser a eles mesmos. Ressalve-se, contudo, que mesmo com a perda de duas das suas maiores lideranças (Roberto Sobrinho e Lazinho da Fetagro), o partido ainda pode sobreviver, com nomes como Fátima Cleide e Ramon Cujuí. Mas não sobreviverá com gente que tem como missão dividir e nunca somar; que apenas trata dos próprios interesses e ideologias pessoais; que mesmo concorrendo a vários cargos, jamais chegou nem perto de se eleger (aliás, eles sempre fizeram fiasco, quando se trata de cooptar votos!). Aguarda-se que o petismo sobrevivente se livre desses parasitas, que trazem apenas discórdia e fecham portas. Roberto Sobrinho, por enquanto, não pensa em ingressar em outro partido. Mas Lazinho o fará. Já tem vários convites, mas pelo que se ouve nos bastidores, estaria mais perto do PSB. Esses dois sim, tem voto e popularidade. Já os do baixo clero, quando se trata de eleição, só passam vergonha!

VÍTIMAS DA BRUTALIDADE E DO SILÊNCIO: JOVENS EXTERMINADAS

Assassinatos cruéis, covardes, envolvendo vagabundos de facções criminosas, cada vez mais fortalecidas, por não serem combatidas como deveriam e porque seus membros têm forte proteção das leis brasileiras e dos defensores dos direitos humanos dos facínoras, entre outras coisas. Pelo menos três jovens mulheres (duas delas, pouco mais que crianças) foram brutalmente mortas, em Porto Velho, em quatro meses e meio. Em dezembro, Bianca Alves, de 18 anos, foi encontrada morta no setor Chacareiro. Dias depois, foi a vez de outra menina, Luana de Almeida, de apenas 15, ser violentamente assassinada por membros de uma gangue, no Orgulho do Madeira.

A última vítima morreu nesta semana e seu corpo foi encontrado jogado numa rua do bairro Planalto. Trata-se de Débora Alice Braga, também de 16 anos, brutalmente morta com 27 facadas. Os suspeitos também pertencem a uma facção criminosa. Ora, onde está a grita dos grupos de direitos das mulheres? E os membros das Comissões da Criança e do Adolescente, que sequer se pronunciam? Será que esses grupos só abrem a boca quando querem aparecer no noticiário midiático? As três meninas não merecem sequer algum tipo de protesto contra o assassinato de mulheres? Ou isso não é considerado Feminicídio?

TARIFA ZERO ESTÁ RESSUSCITANDO O TRANSPORTE COLETIVO

Mudou o cenário. Desde sábado passado, quando os ônibus começaram a circular em Porto Velho com a tarifa zero, dois fenômenos ocorreram, no transporte coletivo da Capital. O primeiro: não se vê mais os coletivos, a maioria deles modernos, andando vazios, como antes. O segundo: desapareceu o transporte ilegal, aqueles piratas que corriam às paradas para pegar passageiros, oferecendo preços baixos e inviabilizando o sistema oficial de transporte na cidade. Segundo o vereador Everaldo Fogaça, a concorrência pode chegar a 30 mil veículos fazendo transporte na Capital, a maioria deles de forma totalmente ilegal. Nestes dias, os ônibus estão rodando com bom número de passageiros e só não estão superlotados, por causa dos cuidados com a pandemia.

Eles só podem rodar com metade dos passageiros. Já a turma da picaretagem anda sumida. A Prefeitura da Capital vai investir 6 milhões de reais em subsídios, para manter a empresa que venceu a concorrência do transporte em Porto Velho. A tarifa vai começar em 1 real no mês que vem, depois 2 reais e nos últimos dois meses do ano, 3 reais. 

NO MEIO DA PANDEMIA, UMA GRANDE NOTÍCIA: LANÇADO EDITAL PARA O NOVO EURO

Numa longa entrevista coletiva na manhã deste sábado, o governador Marcos Rocha anunciou a abertura da licitação da construção, pelo sistema Built To Suit, ou seja, o prédio será construído pela iniciativa privada, sem custo algum ao Estado e depois será arrendado para uso do poder público. Foi um procedimento complexo, de mais de uma fase, que permitirá que a obra seja construída com transparência e comece ainda neste ano. Várias empresas estão interessadas e a partir de segunda-feira, devem começar a apresentar suas propostas.

O secretário Fernando Máximo falou sobre a data histórica e destacou que a construção do hospital era sua maior missão na Sesau, até o surgimento da pandemia. O lançamento do edital para o novo Hospital de Urgência e Emergência, com 399 leitos; 10 leitos de cirurgia; 64 leitos de UTI e toda uma estrutura das mais modernas. Máximo agradeceu a Rocha pelo total apoio que tem tido dele e resumiu algumas das ações principais, muitas delas atrasadas em função da pandemia. Rocha aproveitou o evento para falar nos programas em parceria com todas as Prefeituras, em parceria com a Assembleia, que representarão 800 milhões em investimentos e comentou a autorização para a reabertura de todo o comércio, pedindo que os protocolos de segurança sejam todos seguidos.

PERGUNTINHA

Qual seu nível de irritação para passar esse fim de semana, sabendo que além de ter que enfrentar a pandemia, ainda foi "premiado" com mais um aumento no preço dos combustíveis?

Fonte: News Rondônia

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/fervilham+os+bastidores+e+surgem+elucubracoes+a+sucessao+estadual+ainda+pode+trazer+muitas+surpresas/170160

News Rondônia