Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020 - 08:05 (Colaboradores)

L
LIVRE

Na Pandemia, um aniversário diferente, com muita reza e pedido de cestas básicas para ajudar os mais pobres

PERGUNTINHA: Depois de mais um final de semana de acidentes, feridos e rachas no Espaço Alternativo, você ainda correria o risco de levar sua família para curtir o local que deveria ser de lazer?

Foi um aniversário totalmente diferente de todos os outros. Os 52 anos do governador Marcos Rocha, registrados nessa segunda-feira, teve apenas alguma comemoração   familiar, porque a pandemia continua proibindo festas e aglomerações. Ele pediu que ao invés de presentes, seus amigos e parceiros, que concordassem, comprassem cestas básicas e medicamentos, para que a Secretaria de Ação Social distribua entre os mais necessitados. Num breve comentário à esse Blog, o Governador afirmou que está sendo feito todo o possível para amenizar os efeitos dessa pandemia. "Tenho pedido muito a Deus que nos livre dessa terrível doença e que alivie o sofrimento de todos os que perderam tantos entes queridos". Marcos Rocha registrou que ele mesmo perdeu amigos muito queridos. "Tenho clamado a Deus também por sabedoria, para governar, tomando as melhores decisões, para gerar as melhorias e termos menos impacto social e menos tristeza para nosso povo". Embora esteja acompanhando os números da doença e eles estejam diminuindo, segundo comentou, o Governador acrescentou, emocionado, que "sofro muito porque vi quantas pessoas perderam a vida". Também lamentou que "pessoas de mau caráter ainda estejam fazendo política em cima dessa tragédia". Disse ainda que seu maior presente de aniversário, se pudesse pedir, seria que "Deus proteja a população e que nosso Estado se desenvolva mais e mais".

Além das doações, ao invés de presentes, membros da equipe de Governo principalmente do primeiro escalão, sem poder dar os parabéns pessoalmente ou um abraço no chefe, enviaram vídeos, individualmente, cumprimentando o chefe deles à distância. No seu segundo aniversário à frente de Rondônia (ele foi eleito em 2018, pouco depois de completar 50 anos), Marcos Rocha ouviu dos seus parceiros de governo muitos elogios, pela forma como vem conduzindo o Estado, mesmo em tempos de pandemia. A esse blog, há algum tempo atrás, ele confessou que, anos atrás, jamais teria imaginado "que um dia eu teria a honra de governador um Estado como Rondônia" e, muito mais, que teria, durante sua administração, que enfrentar uma das mais terríveis epidemias que não só o Brasil, mas o mundo todo, estão enfrentando nesse momento. Rocha, evangélico, tem aproveitado todas as ocasiões em que há encontros religiosos, para rezar, segundo ele, "para que Deus acabe de vez com esse sofrimento de tantos rondonienses, brasileiros e, claro, de toda a Humanidade". O Governador espera que em seu próximo aniversário, possa comemorar com familiares e amigos já com abraços e confraternização permitidas, pelo fim da pandemia.

CPI DA ENERGISA: SÓ FALTA O RELATÓRIO FINAL

Não há ainda mais data definitiva, mas o presidente da CPI da Energisa, deputado Alex Redano, aguarda apenas sinal verde do presidente da Assembleia, Laerte Gomes, para a volta das reuniões das comissões, para concluir os trabalhos. Segundo ele, a investigação demonstrou uma série de irregularidades que, se não forem corrigidas, merecem até que a empresa seja substituída, em Rondônia. Mais que isso, afirmou que o relatório do deputado Jair Montes deverá sugerir duras medidas, "para proteger a população rondoniense", segundo ele. O relatório, após a votação final, será encaminhado ao Tribunal de Contas da União; ao TC do Estado; ao Ministério Público e outras instituições, para que sejam tomadas as medidas cabíveis, segundo Redano. Com relação à proposta de desconto de impostos pedidos pela Energisa, o presidente da CPI se disse totalmente contrário. "A menos – destacou – que seja dada uma grande contrapartida, principalmente para a população mais pobre". Só então, segundo ele, se poderá reavaliar o assunto. 

CORONA: DOIS DIAS SEM NENHUMA MORTE NA CAPITAL

Os números da Covid 19 no Estado, na segunda-feira, se mantiveram bastante baixos, comparando-se com os da semana passada e equiparando-se ao domingo. No domingo o boletim da Secretaria da Saúde registrou apenas quatro mortes, nenhuma em Porto Velho, onde os dados têm sido ruins. A segunda-feira repetiu as quatro mortes e, novamente, nenhuma delas ocorreu em Porto Velho. No total, agora, temos 888 óbitos. Nos últimos 95 dias, a média de mortes foi de 9,3 mortes a cada 24 horas. O número de casos cresceu de 39.893 no domingo para 40.016, com mais novos 123 casos em todo o Estado. Pela primeira vez num dos boletins da Sesau, Porto Velho não teve o maior número de novos casos. O primeiro lugar  ficou com Ariquemes (46  contaminados) contra 37 da Capital. Do total de contaminados, a segunda-feira marcou 32.157 pacientes já curados, representando praticamente 80 por cento de pessoas que venceram o vírus. Haveria, portanto, em termos de casos ativos, hoje, apenas 7. 859 pessoas. Aumentou também o total de testes realizados em todo o Estado, a maioria na Capital: 127.521. Outro detalhe positivo, embora, é claro, ainda preocupante. O número de pessoas internadas caiu da média de 450 na semana passada, para um total de 399 neste 03 de agosto, sempre conforme os números oficiais divulgados diariamente pela Secretaria de Saúde do Estado.

ENFIM, A REAÇÃO CONTRA FUGAS CONSTANTES

O domingo com presos mortos e feridos, durante uma fuga de vários bandidos perigosos do presídio de Ariquemes, demonstrou ao menos que os agentes penitenciários começaram a reagir à altura, quando os presidiários transformam as cadeias de Rondônia em hotéis de alta rotatividade. Claro que é um assunto que não se comenta publicamente, mas muitos agentes temem reagir à ação dos bandidos, dentro dos presídios, por dois motivos. O primeiro, porque temem por suas famílias, já que muitos desses facínoras, membros de facções criminosas, ameaçam as famílias dos responsáveis por impedir que eles fujam. O segundo, é a legislação brasileira, protetora do crime, amiga dos direitos humanos dos criminosos. Atirar num detento, mesmo que ele esteja fugindo, pode significar grandes problemas para os agentes da lei, que são tratados, em muitas ocasiões, como se errados fossem. Há ainda outras nuances nas fugas, mas sobre essas não se tem como provar mesmo!

APLAUSOS AOS QUE CUMPRIRAM SUA MISSÃO

O problema é que, ao cumprirem sua missão de não permitir fugas e, com isso, proteger a sociedade, vítima fora das cadeias, os agentes penitenciários acabam sendo tratados como se eles fossem os criminosos e os coitadinhos membros de facções sanguinárias, tivessem tido seus direitos humanos afrontados. Na fuga de Ariquemes, pelo menos uma dúzia conseguiu fugir, mas dois bandidos perigosos foram mortos e dois outros feridos. Antes de fazer uso de armas, os servidores, responsáveis pela segurança do presídio, avisaram várias vezes que os foragidos deveriam se entregar e voltar às celas. Nenhum deles deu atenção, porque sabiam, claro, por conhecerem muito bem o Código Penal e a defesa dos seus direitos, coisa que eles ignoram totalmente, quando se trata dos direitos alheios, imaginando que, como de outras vezes, iriam sair ilesos.  Dessa vez, a reação foi à altura do crime. Aplausos dos rondonienses aos servidores que cumpriram com sua missão, mesmo sabendo que terão que enfrentar a fúria de leis que dão guarida a criminosos, não a eles...

TENDÊNCIA HOJE, NO MDB É WILLIAMES PIMENTEL

George Braga, o competente secretário de Planejamento do governo Confúcio Moura, não está tão disposto a uma disputa interna no MDB porto velhense, caso não haja consenso para escolha do nome que o partido indicará para concorrer à cadeira de Hildon Chaves. Restam dois nomes na reta final, para definir quem será o candidato apoiado pelo partido: o do desembargador aposentado Walter Waltenberg e o do ex secretário de saúde do município e do Estado, Williames Pimentel. Como a tendência é de que haja disputa interna e Waltenberg só aceitaria concorrer caso houvesse consenso em torno do seu nome, dentro do diretório emedebista, a decisão se encaminha para que Pimentel seja o escolhido. O deputado federal Lúcio Mosquini, presidente regional do partido, diz que está tratando das sucessões municipais em todo o Estado "24 hora por dia" e que o caso de Porto Velho deve ser definido ainda esse mês. Se a decisão fosse hoje, Williames Pimentel seria o candidato. Mas, como Waltenberg é um nome, o quadro ainda pode mudar? Em política, nada é definitivo. Em alguns dias saberemos da resposta. A única coisa que está decidida, segundo Mosquini, é que o partido não irá com chapa puro sangue. Vai se aliar para ter um vice de outra sigla.

HILDON FORA DA ELEIÇÃO? PLANOS SERIAM PARA 2022

Há um personagem muito próximo ao prefeito Hildon Chaves, de uma longa e profunda amizade, que afirma que o prefeito da Capital não vai mesmo disputar um segundo mandato. Seria uma enorme surpresa, segundo a mesma fonte, caso ele tivesse mudado de ideia. Hildon é contra a reeleição, quer deixar claro que não é um político de carreira e que, sim, pensa em disputar alguma outra eleição no futuro, mas não agora. A intenção do Prefeito seria entregar praticamente todas as grandes obras que prometeu; concluir mais de 150 quilômetros de asfalto, um recorde histórico; fazer funcionar o transporte escolar, caso já resolvido e o transporte coletivo da cidade, que ainda está pendente de decisão judicial, assuntos que são deficiências de décadas na Capital. Afora isso, vai entregar uma cidade muito melhor que recebeu, em praticamente todos os setores. Dirá, quando anunciar sua decisão, que não irá apoiar nenhum candidato à sua sucessão, ao menos no primeiro turno. Seus olhos estarão voltados para 2022. Será que esse vaticínio está mesmo correto ou o Prefeito ainda poderá mudar de opinião e entrar na briga eleitoral de novembro? Nos próximos dias saberemos.

PAGAMENTO ATRASADO: AUTORIZADO CORTE DE ENERGIA

Cuidado, consumidores de energia elétrica de Rondônia! A partir de agora, a Energisa pode voltar a cortar o fornecimento, em caso de falta de pagamento. Lei federal proibindo o corte foi também estendida a Rondônia e confirmada por legislação estadual aprovada pela Assembleia Legislativa. Mas a decisão só valia até 31 de julho. A partir de agora, os cortes podem voltar a serem feitos, menos em casas de famílias de baixa renda e algumas outras exceções. É bom também que o usuário saiba que, mesmo com a autorização da Aneel, a Energisa não pode suspender o fornecimento também em determinados dias.  A lei federal proíbe efetuar cortes às sextas, aos sábados, domingos, feriados e dias que antecedem feriados. Os cortes de energia voltam a ser permitidos, mas a Aneel também exige que a Energisa e as demais distribuidoras, enviem  ao consumidor uma nova notificação sobre existência de pagamentos pendentes, ainda que já tenha encaminhado em período anterior para o mesmo débito. É importante que o consumidor saiba de todos esses direitos e denuncie qualquer abuso.

PERGUNTINHA

Depois de mais um final de semana de acidentes, feridos e rachas no Espaço Alternativo, você ainda correria o risco de levar sua família para curtir o local que deveria ser de lazer?

Fonte: Sergio Pires/NewsRondonia

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/na+pandemia+um+aniversario+diferente+com+muita+reza+e+pedido+de+cestas+basicas+para+ajudar+os+mais+pobres/155437

News Rondônia