Quarta-Feira, 22 de Julho de 2020 - 08:56 (Colaboradores)

L
LIVRE

Esperança e medo: comércio espera retomada, mas teme que possa ser punido injustamente, de novo!

De um lado, há uma grande esperança de que as coisas recomecem a melhorar, mesmo que aos poucos e que muitos CNPJs não desapareçam. De outro, o medo de que, caso a pandemia não seja controlada; se amplie e possa aumentar de tamanho e as autoridades decidam fechar tudo novamente.

A presidente da CDL – Câmara dos Dirigentes Lojistas – Joana Joanora, sem dúvida resume muito bem o espírito dos comerciantes e empresários, muitos dos quais recomeçam a tentar a sobrevivência mais de 100 dias depois de idas e vindas de portas fechadas e abertas. De um lado, há uma grande esperança de que as coisas recomecem a melhorar, mesmo que aos poucos e que muitos CNPJs não desapareçam. De outro, o medo de que, caso a pandemia não seja controlada;  se amplie e possa aumentar de tamanho e as autoridades decidam fechar tudo novamente. Ela diz que a expectativa é positiva para o futuro próximo. Os lojistas, que já perderam o segundo maior faturamento do ano (Dia das Mães) e outra data importante, o Dia dos Namorados, contam agora com o Dia dos Pais, no segundo domingo de agosto, para recomeçarem a reequilibrar seus orçamentos. Até porque a grande maioria dos comerciantes, neste momento, só tem contas a pagar e muito pouco de dinheiro entrando em caixa. O que Joana Joanora espera é que haja uma conscientização da população e uma estratégia de fiscalização, para que os cuidados e a toda a estrutura de segurança para evitar a expansão do coronavírus sejam priorizadas.

A verdade é que o empresariado – ou ao menos uma parte significativa dele – foi punida por erros que jamais cometeu. A expansão do vírus ocorreu antes, durante e depois dos fechamentos feitos tanto em Porto Velho quanto no restante do Estado. O raciocínio vale para todo o Brasil. O isolamento social nunca funcionou corretamente, na maioria dos casos, não porque essa ou aquela empresa fecharam suas portas, mas porque todas as decisões de lockdown e outras medidas drásticas, jamais foram cumpridas por parte da população. Na grande maioria das lojas, há um grande controle para conter a pandemia. Fora delas é que o problema. A presidente da CDL resume essa situação: "tem ainda muita gente ignorando os cuidados Gente sem máscara. Gente sem cuidados. Por isso é que nós tememos que possa ocorrer, de novo, alguma outra medida drástica, que, nesse momento, seria terrível para o comércio e para todas as empresas". Ela se refere à falta de cuidados de muita gente. Das aglomerações. Das chamadas Coronafest. É com esse desrespeito que as autoridades devem estar preparadas para lidar. Nas lojas, garante Joana – ou ao menos na grande maioria delas – todos os cuidados estão sendo tomados para proteger as pessoas. É nas ruas, nas aglomerações, nas festas irresponsáveis, nos amontoados de pessoas em locais como o Espaço Alternativo, que o perigo está rondando. Tomara que o medo de que algo possa ser feito contra quem trabalha, produz e emprega, seja apenas histórias de erros passados. Daqui para a frente, mais cuidados fora das lojas. Com os mesmos cuidados que existem dentro delas...

OS ROCHA ESTÃO BEM, MESMO COM A COVID POR PERTO

Embora não tenha mais comentado publicamente o assunto, desde que entrou em quarenta há cerca de uma semana, o governador Marcos Rocha está bem de saúde e não foi afetado, ao menos até a noite desta terça, por problemas relacionados com o coronavírus. Ele decidiu se manter isolado depois que a primeira dama, dona Luana Rocha, também secretária de assistência social do Estado, teve teste positivo para a Covid 19. Ela teve poucos sintomas da doença e já está curada, segundo fontes do Palácio Rio Madeira/CPA. Marcos Rocha, contudo, continua a quarentena, até que haja certeza absoluta que ele não corre riscos e nem que pode transmitir o vírus adiante. A prevenção, feita dentro das orientações médicas, está sendo cumprida à risca. O Governador, contudo, continua despachando normalmente com toda a sua equipe, via videoconferências. É possível que nessa quarta seja divulgado um boletim oficial sobre a saúde do chefe do governo rondoniense.

SÍMBOLO DA PF CONDENADO POR APOIAR CONTRABANDO

Ele foi personagem importante na Operação Lava Jato. Chegou a ser o centro de muitas piadas, memes e gozações, principalmente contra petistas que iam presos e apareciam ao lado dele. O policial federal aposentado Newton Ishii, conhecido com Japonês da Federal, agora está se sentindo na pele dos condenados. Acusado de facilitar o contrabando na região da fronteira entre Brasil e Paraguai, em Foz do Iguaçu, ele perde o cargo de agente policial e ainda terá que pagar uma multa de 200 mil reais, segundo decisão do juiz Sérgio Luiz Marques, da 1ª Vara Federal de Foz do Iguaçu. Há risco ainda de perda da aposentadoria, mas essa decisão cabe à própria PF e não ao Judiciário. Há ainda recurso, mas a condenação, depois de um longo processo, é uma derrota para um agente policial que foi uma espécie de símbolo da PF, nas duras ações contra o crime organizado que tomou conta do governo brasileiro e de parte do Parlamento, nos últimos anos. Na decisão judicial, o magistrado afirma que Japonês da Federal "se escondeu atrás do aparato institucional" para cometer crimes, o que impede que ele continue atuando como agente policial.

"COMPARTILHAR FAKE NEWS É CRIME!"

"Fique atento, pois você é responsável por seus atos!". A frase de alerta faz parte de texto divulgado pelo advogado Renato Cavalcante, um dos mais respeitados criminalistas do Estado. Segundo ele, as Fake News são "notícias falsas, que se aproveitam do poder da internet de disseminar uma informação pelo mundo todo, para prejudicar ou beneficiar alguém". Cavalcante alerta que, antes de espalhar qualquer notícia, "tenha a cautela de verificar a autenticidade do conteúdo que você irá ter a responsabilidade de compartilhar nas redes sociais". Informa ainda que "caso você compartilhe uma notícia falsa – difamatória – certamente estará correndo sério risco de responder a uma ação cível e criminal, por aquele que se sentir ofendido pelo conteúdo que você decidiu e teve a irresponsabilidade de compartilhar". O alerta serve para quem compartilha vídeo, texto ou mesmo matéria jornalística, desconhecendo por completo  o que está disseminando. Ou seja, ao contrário do que muita gente pensa, a internet não é terra de ninguém, alerta o competente e respeitado advogado.

CRIMES ORGANIZADOS DE DENTRO DAS CADEIAS

Mais uma vez, uma grande operação policial feita contra quadrilhas organizadas, descobriu, no final, o que todos sabemos: pelo menos meia dúzia dos bandidos envolvidos em vários tipos de crime, atuavam ou comandavam ações de dentro dos presídios. Ao todo, foram cumpridos 32 mandados contra os quadrilheiros, responsáveis por uma série de atos criminosos, como homicídios, roubos e tráfico de drogas. Toda a operação foi feita em Candeias do Jamari, de onde a grande quadrilha partia para praticar todos os delitos denunciados, tanto ali mesmo, como na região de Porto Velho e outras localidades. Beneficiada por uma legislação que praticamente incentiva o crime, tal sua ineficácia, a bandidagem cresce por aqui e cresce em cada recanto deste país. Hoje, policiais civis, militares e agora os que fazem parte da chamada polícia judiciária vivem não só com salários ridículos e condições de trabalho ruins, mas ainda têm que enfrentar a impunidade para os bandidos que eles prendem. Além, é claro, de serem transformados em criminosos, por parte da mídia, amiga dos direitos humanos dos criminosos, mas nunca de suas vítimas. Não está fácil ser cidadão de bem, também  conhecido como vítima ou ser policial neste país do deboche.

LUIZÃO REASSUME. MAIS UMA VEZ!

O caso Rolim de Moura tem mais um capítulo. O prefeito Luizão do Trento voltou ao comando da Prefeitura, depois de uma série de decisões contraditórias da Justiça Eleitoral, que nunca instância o considerava inocente de um processo por abuso de poder econômico na eleição de três anos e meio atrás; noutra instância o condenava; na hora mandava ele assumir de novo. Até que seu mandato, faltando sete meses para ser concluído, foi cassado pelo TRE. A partir daí começou nova confusão. A Câmara de Vereadores empossou seu presidente como Prefeito e preparou uma eleição indireta, aprovada pelo tribunal regional. Tudo certinho, inclusive com data para a tal eleição, que, na verdade, é uma espécie de excrescência no contexto das eleições. O TSE mudou tudo de novo. Mandou Luizão do Trento reassumir o cargo e terminar o mandato. Nessa absurda confusão, a população de Rolim ficou no meio do fogo cruzado, perdida, porque um dia a situação era uma; noutro, era outra. Não se sabe até quando esse tipo de coisa continuará acontecendo nesse país de tantas leis e tantos absurdos.

MAIS 19 MORTES. O VÍRUS CONTINUA VORAZ

Depois de três dias sem registro de pessoas contaminadas pelo coronavírus, a realidade voltou a endurecer em Porto Velho. No boletim da Sesau desta terça-feira, foram 397 novos casos na Capital. Diminuiu para oito o número de óbitos, que eram onze na segunda-feira. No Estado todo, superamos os 30.600 casos. O número de mortos também cresce. Já são 727 óbitos registrados, mais 19 vidas perdidas, pelo boletim de terça em relação aos números anteriores. O total de recuperados já atingiu 19.723 casos, representando um total de perto de 65 por cento dos afetados, que já estão livres do vírus. Do total de mortos, 474 são de Porto Velho. Outro número importante é de exames realizados. O total já bateu nos 108 mil, mais de quatro mil em relação ao dia anterior. Existem 424 pessoas internadas nos hospitais do Estado, Não foi informado sobre quantos desses pacientes estão internados em UTIs. 

CALL CENTER JÁ ATENDEU 74 MIL PESSOAS

Os números são bastante significativos. Em menos de quatro meses, o sistema de Call Center criado, pela Prefeitura de Porto Velho  atendeu nada menos do que 74 mil pessoas. O serviço de Teleconsulta que atende através do número 0800 647 5225, se tornou o principal canal para atendimento da população com sintomas do novo coronavírus. Os números relacionados com atendimentos foram crescendo mês a mês, na mesma proporção em que a pandemia se ampliava. . Em abril, primeiro mês das atividades, o sistema registrou 7.278 mil atendimentos; em maio 23.148; junho 30.219 e até o dia 20 de julho foram 14.643. Mais de 16 mil pacientes foram encaminhados para atendimentos nos centros de referência ao coronavírus (CEM e Manoel Amorim de Matos) e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Outros 412 direcionados para acolhida nas Unidades Básicas de Saúde.

PERGUNTINHA

Você aceitaria ser voluntário para receber doses da vacina chinesa ou da criada em Oxford, contra o coronavírus, mesmo sem ter certeza de não estar correndo riscos?

Fonte: 010 - sergio pires

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/esperanca+e+medo+comercio+espera+retomada+mas+teme+que+possa+ser+punido+injustamente+de+novo/154741

News Rondônia