Quinta-Feira, 06 de Junho de 2019 - 15:50 (Geral)

L
LIVRE

TAXISTAS DE PORTO VELHO ABORTAM CRIAO DE MAIS UM SINDICATO TIDO COMO DE FACHADA E PELEGO

Nem o fim da contribuio sindical obrigatria, tantas vezes repetidas no governo Temer e pela ento bancada federal que votou favorvel sua, pareceu convencer os representantes legais do suposto SINDTAXI.

Porto Velho, RONDÔNIA – 'A política do fazer por merecer no mundo sindical rondoniense', agora foi bem aplicado e fez com que trabalhadores taxistas fizessem verdadeira faxina em um grupo de supostos sindicalistas viessem a criar mais um sindicato considerado de  fachada e pelego em Porto Velho e região.

Com menos de 100 sindicatos ainda funcionando desde as discussões sobre a polêmica reforma trabalhista aprovada no governo Michel Temer (MDB), nesta Capital, 'o nascimento de mais uma entidade sindical foi abortado enquanto o Congresso dizia sim ao desmonte de todos os sindicatos', afirmam taxistas.

Na tentativa de mudar as regras do jogo para criar mais uma categoria no âmbito do Estado, por decisão da Justiça rondoniense, o Diário Oficial da União (DOU), edição ainda do dia 31 de maio de 2017, na Seção 3, da página 199, mandava o suposto representante legal cancelar em definitivo a Assembléia  Geral Extraordinária da sua criação, instalação e funcionamento. 

À época, trata-se da suposta instalação do Sindicato dos Taxistas Autônomos do Estado de Rondônia (SINDTAXI) com suposta base territorial nas cidades de Candeias, Guajará-Mirim, Nova Mamoré e localidades que formam a Grande Porto Velho. A motivação, considerada temporã e sem base legal, levou o grupo insurgente a responder por falsidade ideológica, a apropriação indébita e retenção de documentos de taxistas.

Apesar de já haver um volume excessivo de sindicatos funcionando no Estado e que ainda não disseram aos trabalhadores a que vieram, o 'Grupo de Guajará' que intencionava fragmentar a categoria da Praça de Porto Velho, galgara todos os passos de como criar um sindicato apenas com a coleta branca de assinaturas sem muita clareza, denunciam taxistas locais.

- Nem o fim da contribuição sindical obrigatória, tantas vezes repetidas no governo Temer e pela então bancada federal que votou favorável à sua, pareceu convencer os representantes legais do suposto SINDTAXI.

FACHADA E PELEGOS – Historicamente, haveria no Brasil 17 mil sindicatos  disputados, feroz e vorazmente, pelas maiores centrais sindicais (CUT, Força Sindical, UGT, Nova Central, CTB e outras). Em Rondônia, para justificar a comparação com o resto da Amazônia, o SINDTAXI até teria usado a prática de que 'na Argentina a contribuição sindical é voluntária', lembrou Lemes e Soares.

Nem mesmo a utilização excessiva dessa estratégia por uma Central de Trabalhadores e Trabalhadoras apoiada por dois ex-prefeitos e dois ex-governadores rondonienses, 'justificou a criação do Sindicato dos Taxistas Autônomos do Estado de Rondônia (SINDTAXI)', frisou taxista do Sistema Compartilhado, nessa quinta-feira (6), na ante-sala da presidência da Câmara.

Ante à ameaça de fragmentação da categoria dos taxistas de Porto Velho – o Sindicato mais antiga em funcionamento é o de Humaitá, no sul do Amazonas -, os dados apresentados pelos dirigentes do SINDTAXI à Justiça não teriam sido suficientes para justificara validade da ex-Assembléia Geral Extraordinária que referendaria a criação da nova categoria no Estado.

- O problema foi que a cifra de taxistas mobilizados, ao detectarem a manobra política-eleitoral à qual seriam vítimas, contava com o apoio de políticos em período de reeleição à prefeitura de Porto Velho, ficando bem longe da realidade da categoria afirma o consultor Lemes e Soares, 47.

Fonte: News Rondnia

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/taxistas+de+porto+velho+abortam+criacao+de+mais+um+sindicato+tido+como+de+fachada+e+pelego/131275

News Rondnia