Sexta-Feira, 26 de Abril de 2019 - 09:12 (Curiosidades)

L
LIVRE

URNAS FUNERRIAS DE 500 ANOS ACHADAS NO AMAZONAS COMEAM A SER ESTUDADAS

As urnas funerrias localizadas por arquelogos na parte central do estado amazonense levam a mais um captulo na descoberta histrica do passado e da riqueza cultural dos povos originais brasileiros.

Como eram os rituais fúnebres na cultura brasileira há centenas de anos? Das coroas de flores aos velórios online modernos, pesquisadores iniciam uma viagem no tempo por meio de objetos arqueológicos encontrados em 2018 na região do Amazonas, norte do país.

As urnas funerárias localizadas por arqueólogos na parte central do estado amazonense levam a mais um capítulo na descoberta histórica do passado e da riqueza cultural dos povos originais brasileiros. Os estudos estão sendo conduzidos pelo Instituto Mamirauá, organização social que desenvolve pesquisas e fomenta a conservação da Amazônia.

Sítio arqueológico também tinha peças de cerâmica

Os arqueólogos responsáveis pela descoberta encontraram os artefatos enterrados a menos de um metro da superfície. Um pouco mais a fundo, no mesmo terreno, foram localizadas peças de cerâmica ainda mais antigas. Este é um sítio ainda pouco explorado e que, segundo os pesquisadores, pode conter itens ainda mais antigos.

As urnas foram enviadas para Santarém, no estado do Pará, e os estudos relacionados a elas já foram iniciados. Os objetos, que chegaram no final de fevereiro, estão passando por procedimentos nas mãos de arqueólogos da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa).

Os objetos funerários pertencem à Tradição Polícroma da Amazônia, que é um conjunto estilístico e cultural de cerâmicas arqueológicas com mais de 1.400 anos, e que são encontradas das Cordilheiras dos Andes até o início do rio Amazonas. Em seus interiores, havia vestígios de ossos e de terra, material importante para aprofundamento nas pesquisas.

Os estudos a serem realizados no material descoberto pretendem investigar as origens destes objetos, dos desenhos que os ornamentam - figuras na forma humana e de animais, e traçar um panorama da Amazônia antiga. Essa foi uma das primeiras vezes no Brasil em que urnas foram extraídas diretamente do solo, conservando seu contexto original de enterramento.

O deslocamento do material e os estudos foram autorizados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Fonte: assessoria

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/urnas+funerarias+de+500+anos+achadas+no+amazonas+comecam+a+ser+estudadas/129009

News Rondnia