Quarta-Feira, 21 de Fevereiro de 2018 - 20:40 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: UMA IDEIA JERICAL

O presidente nacional do PDT, Roberto Jefferson comunicou ao presidente Michel Temer a desistência da indicação de sua bebê, a deputada federal Cristiane Brasil.

Frase do dia:

“O Brasil não produz cocaína, não produz crack, não produz fuzil. É preciso seguir o dinheiro. O problema é a corrupção. Só entram armas e drogas por causa da corrupção.” Ministro Alexandre de Moraes do STF, ex-ministro da Justiça.

1-O morro dos sonhos da “sinistra”

Ouvindo a “tchurma do primário malfeito” bradando contra a intervenção no Rio tive certeza que o “pepino” é o Exército. Como resolver? Talvez engatando uma ré nos tanques e todos de volta ao quartel. E como policiar e acabar com a violência? Talvez oficializar as milícias como “polícia do morro” paga pela comunidade.

Para evitar intrusos, o “diskocaína oficial” ou a “bokafree” na entrada do morro. Inclusão social, comando direto pelas facções sem burocracia, impostos reduzidos tipo “drug-free zone”. Inclusão social, geração de emprego, renda, com números e estatísticas para encantar gringo doido... Ééééé...Brasil-sil-sil!!!

2-Intervenção de araque

A “tchurma do mexe aí não mermão” prega que a intervenção e que nem deveria existir, de olho no voto do pobre e no financiamento dos donos do morro.

Já o favelado quer além da intervenção o Bolsonaro com tanques, canhões, ferro, fogo contra o tráfico, além do Moro contra corruptos. Temer quer o Exército que endureça com ternura e limpe sua barra. Isso é bem mais difícil que rezar missa no bordel ou fazer baile funk em convento de freiras.

3-Intervenção total

O país precisa da intervenção no Rio de Janeiro e não só na área de segurança, já que o buraco é maior e mais embaixo. Ocorre que uma intervenção mais ampla que esta, carece de respaldo que o momento e a classe política não oferecem. Nos três níveis de poderes há problemas de solução quase que impossível em curto prazo e dentre eles se sobressai a corrupção. Não há saída.

É torcer pelo sucesso do Exército, da Lava Jato e esperar que o próximo grupo de governo - presidente inclusive - esteja à altura das nossas demandas.

4-Apoio geral

O Paraná Pesquisas ouviu 2.882 brasileiros acima de 16 anos em 215 municípios do país e revelou que 74,1% aprovam a intervenção federal do Rio de Janeiro, 20,5% são contra e 5,4% não souberam ou preferiram não opinar.

Quando questionados se aprovariam uma intervenção no local onde residem, 67,6% disseram sim, 27,6% foram contra e 4,8% não souberam ou não quiseram opinar. A pesquisa tem o grau de confiança de 95%. A margem de erro é de 2% para mais ou menos. Chupem canalhas! As Forças Armadas, a PF e a Lava Jato estão no topo da confiança dos brasileiros.

5-Novos rumos

A Petrobrás atualizou o código de conduta interna definindo várias medidas para evitar a repetição de episódios de corrupção como os investigados pela PF na Operção Lava Jato. Pelas novas regras, empregados são proibidos de se encontrarem sozinhos com políticos e para que uma reunião do tipo ocorra, só com a participação de dois funcionários. "A interação com agentes políticos deve ser realizada na presença de, no mínimo, dois representantes da Empresa, salvo autorização de superior hierárquico, no mínimo gerente executivo ou equivalente". Assim vai. Agora vai. Ora se vai....

6-Uma ideia jerical

O presidente nacional do PDT, Roberto Jefferson comunicou ao presidente Michel Temer a desistência da indicação de sua bebê, a deputada federal Cristiane Brasil.

Ocorreu-me então uma ideia jerical: num gesto de cortesia Temer poderia comunicar a desistência para a indicação de qualquer pessoa para o cargo de Ministro do Trabalho. Obrigado, por nada!

[email protected]
Facebook Leo Ladeia II

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/politica+murupi+uma+ideia+jerical/106133

News Rondônia