Quarta-Feira, 21 de Fevereiro de 2018 - 09:40 (Colaboradores)

L
LIVRE

POLÍTICA & MURUPI: ILUSÃO DA MINORIA

Por 7 longas horas deputados debateram e ao final a maioria infligiu uma derrota acachapante de 340 x 72, mantendo assim na integra a intervenção no Rio de Janeiro.

FRASE DO DIA:

“Atribuir a corrupção a salários defasados é o mesmo que acusar os trabalhadores brasileiros, em sua maioria ganhando pouco mais de um salário mínimo, de serem ladrões. Como vivem com tão pouco? Será que complementam a renda furtando?” Miguel Lucena - Jornalista, escritor e delegado de polícia.

1-Ilusão da minoria

A democracia dá a todos, vez e voz e em qualquer processo de escolha, emitir as opiniões e posições, ainda que isso frequentemente crie a ilusão de que a minoria pode até vencer a maioria. Vimos isto ontem quando se votava na Câmara a intervenção federal no Rio de Janeiro.

Por 7 longas horas deputados debateram e ao final a maioria infligiu uma derrota acachapante de 340 x 72, mantendo assim na integra a intervenção no Rio de Janeiro.

2-Ilusão da maioria

O governo pode muito, mas não pode tudo. No balcão a intervenção militar localizada está sendo vendida como uma ação de cunho nacional, o que é totalmente falso.

Sem a maioria para impor a reforma previdenciária, o governo afundou cedeu à minoria qualificada que às vezes vence por vender melhor o mesmo peixe. A derrota acachapante perdeu em brilho e, ainda que se saiba que alguma reforma da previdência é necessária, terá que ser adiada.

3-Quanto pior, melhor

Ora sabendo-se que alguma reforma terá que ser feita na previdência para pelo menos alinhar parâmetros de servidores – privados e estatutários – o que se vê é a briga intestina do governo (maioria) forçando goela abaixo sem o debate e da oposição (minoria) que não aceita sequer a possibilidade de checar as contas apresentadas. Para o governo é pregar a oposição como radical e para a oposição, mostrar que o governo é o mal personificado.

4-Pegando na mão grande

Sem reformar a previdência Temer e equipe pensam num plano B. A Autonomia do Banco Central volta à agenda. A proposta antes defendida pelo governo pode usar a proposta já em tramitação do senador Romero Jucá, que prevê a fixação de mandato para presidente e diretores que não coincide com o do presidente da República. Privatizar a Eletrobrás é outro ponto e renderia R$ 12,2 bilhões. Junte-se aí PIS/COFINS simplificado, novo marco nas licitações, recuperação de estatais e outros “prioritários” como as 21 MP’s pendentes no Congresso. Tradução: Esqueceu a espingarda? Esquenta não. Pega a onça no tabefe.

5-Game over

“Cada um de nós vota de acordo com o estudo que se faz dos autos. Não nos sujeitamos a pressões de mídia.” Com esta frase lapidar da ministra Maria Thereza de Assis Moura e o placar apertado de 3x2 os irmãos Joesley e Wesley Batista voltam à tarefa de matar boi, vender carne eganhar dinheiro para negociar bucho, couro, miolo e consciências.

Como o Joesley é mais “limpeza” fica no xilindró mais um pouco até que a justiça abra o cadeado. Claro que o STJ como disse a ministra, vota de acordo com o estudo que se faz dos autos, sem se sujeitar a pressões da mídia. Nem era preciso falar disso e tamos conversados.  

6-Cheirin de gasolina

A Petrobrás divulgou o preço da gasolina nas refinarias. O litro da gasolina tipo A comum, passa a custar R$ 1,5148. Considerando que nas bombas em Porto Velho o preço está em R$ 4,12, significa que estamos pagando um sobre preço de R$ 2,6052.

Com boa vontade é possível enfiar 40% de imposto, 20% de transporte e 40% de lucro, chegando a incríveis R$ 3,0296. O resto, R$ 1,0904 deve ser o cheiro de gasolina. É muito justo. Ah Brasil...

leolade[email protected]
Facebook Leo LadeiaII

Fonte: Leo Ladeia/NewsRondônia

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/politica+murupi+ilusao+da+minoria/106074

News Rondônia