Sexta-Feira, 29 de Dezembro de 2017 - 12:28 (Geral)

L
LIVRE

SONHO DA CASA PRÓPRIA ÀS FAMÍLIAS DO PORTO MADEIRO III PODE TER CHEGADO AO FIM, EM 2017

Após insistência, obteve-se a confirmação de que as casas foram depredadas muito antes da entrega das chaves, através de sorteio ocorrido na sede do Sindicato dos Servidores Municipais (SINDPROF), em solenidade puxada pela secretária Márcia Luna.

Porto Velho, Rondônia – Parte das famílias que receberam a chave das casas do Porto Madeiro III, dentro do programa de habitação do ‘Minha Casa Minha Vida’, sob a égide do Município, podem amargar um grande dissabor ao ocuparem os imóveis após a liberação das unidades que compõem os dois blocos do conjunto dado por concluído, oficialmente.

A reportagem de o NEWS RONDÔNIA esteve no local na quarta-feira (27) e constatou, entre outras falhas estruturais, o furto da fiação (elétrica), telhas, vasos sanitários, luminárias, portas e janelas, mas foi impedida de adentrar para as unidades por vigilantes à paisana.

Após insistência, obteve-se a confirmação de que as casas foram depredadas muito antes da entrega das chaves, através de sorteio ocorrido na sede do Sindicato dos Servidores Municipais (SINDPROF), em solenidade puxada pela secretária Márcia Luna.

Diferentemente das unidades a cargo do governo, no viés Ministério do Planejamento e secretaria de Estado da Assistência Social (SEAS), ‘antes da entrega é feita a inspeção nas unidades’. E com a garantia de que receberá o imóvel intacto, como prevê o programa MCMV, possíveis falhas são reparadas’, informa Maria de Fátima C. Maciel, vizinha do ‘Cidade de Todos I’.

Nos quatro módulos do Porto Madeiro e complexos habitacionais financiados pela Caixa Econômica (CEF), através do programa habitacional Minha Casa Minha Vida (MCMV), a situação não é diferente. Mas é nos dois blocos do P.M III é que o quadro é desolador.

- Como ocupar um imóvel sem telhado, portas, janelas, luminárias, rede elétrica, água potável e estação de tratamento de esgoto e sanitário? Indagou um dos comerciantes ao longo da rua Humaitá, em frente aos imóveis.

Além do material furtado, os futuros moradores devem enfrentar problemas com a recuperação da parte maior dos imóveis que devem, segundo os vigilantes do local, ‘com a falta de áreas de lazer e entretenimento, coleta de resíduos e reciclagem de águas pluviais e coliformes fecais’. O caso atinge, igualmente, os blocos de apartamentos dos módulos I, II e IV, além do vizinho complexo Cidade de Todos I e II.

A reportagem do NEWS constatou in loco que a área destinada à construção de um núcleo do Centro de Referência da Assistência Social (CRASS) vinculada à secretaria da Assistência Social e da Família (SEMAS), o mato tomou conta, inclusive os temporais lançaram para longe a placa indicativa da obra.

Por fim, a reportagem do NEWS foi a procura do Vice-Prefeito Edgar do Boi (PSDC) a fim de esclarecer a situação. Porém, foi informada que o prefeito estaria, nesta quinta-feira (28), na Capital, mas logo retornaria ao Rio de Janeiro onde passará o Réveillon 2017 com a família e ao menos um secretário do staff municipal.

Fonte: NewsRondônia

Link: http://www.newsrondonia.com.br/noticias/sonho+da+casa+propria+as+familias+do+porto+madeiro+iii+pode+ter+chegado+ao+fim+em+2017/103335

News Rondônia