Segunda-Feira, 20 de Março de 2017 - 16:36 (Geral)

L
LIVRE

SINDAFISCO PARTICIPA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA DEBATER A PEC 287

Na manhã desta segunda-feira, 20, representantes do Sindicato dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais de Rondônia (Sindafisco) participaram de Audiência Pública organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educacao de Rondônia


Imprimir página

Na manhã desta segunda-feira, 20, representantes do Sindicato dos Auditores Fiscais de Tributos Estaduais de Rondônia (Sindafisco) participaram de Audiência Pública organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educacao de Rondônia para debater a proposta de reforma da previdência, Proposta de Emenda Constitucional nº 287/2016.

Participaram do evento que aconteceu na sede do Sintero em Porto Velho, o secretário geral do Sindafisco Mauro Roberto da Silva, o diretor finaceiro Moisés Meireles e a diretora de aposentados e pensionistas, Vanda Vilhena. Estiveram presentes também os deputados federais Lindomar Garçom (PRB), Marcos Rogério (DEM), Nilton Capixaba (PTB) e Expedito Neto (PSD), os Senadores Waldir Raupp (PMDB) e Acir Gurgaz (PDT).

"Essa audiência pública foi uma ótima oportunidade dos deputados federais e senadores ouvirem a classe trabalhadora. Já que eles irão decidir o futuro dos trabalhadores, eles irão votar contra ou a favor das propostas da PEC, nada mais justo que ouvir os trabalhadores e a nossa posição contra a PEC 287, que só afeta o trabalhador, tirando um direito trabalhista adiquirido por lei", declarou Mauro Roberto.

"A reforma da predivência não pode ser aprovada da forma que está sendo apresentada. São necessárias mudanças, que não prejudiquem o trabalhador e seus direitos trabalhistas. Espero que os deputados e senadores tenham entendido o quanto a PEC 287 irá afetar o trabalhor", reforçou Moises Meireles.

COMPROMISSO

Na Audiência foram coletaras assinaturas dos deputados e senadores contra a PEC 287. Em documento, os parlamentares, em respeito ao povo de Rondônia, comprometeram-se a rejeitar a aprovação da PEC 287 por considerá-la prejudicial aos trabalhadores e por não considerar justo que sejam suprimidos direitos conquistados com muita luta como a aposentadoria especial para professores e o respeito à diferença da aposentadoria entre homens e mulheres.

Fonte: 010 - Comunicação Sindafisco

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias