Segunda-Feira, 13 de Abril de 2015 - 12:03 (Colaboradores)

O QUE É INSTABILIDADE EMOCIONAL?

Um movimento de excitação hormonal libera substâncias químicas em larga escala para promover uma super ativação cerebral.


Imprimir página

A instabilidade emocional é uma desarmonia sensorial que ativa os sensores do corpo a manifestarem afetações diretamente sobre o biológico na forma de sensações ligadas a estados de angústia, sofrimento, depressão, agonia, nostalgia, alterações cardíacas e em outros órgãos e aflição.

Quando uma pessoa passa por uma instabilidade emocional geralmente ela sofreu um estresse negativo, ou seja, uma pressão ambiental cuja resultante é desencadeamento de sensações densas sobre o seu organismo biológico.

O organismo biológico possui uma forte estrutura de armazenamento energético. Em situações de grande comoção e perigo consegue com facilidade a liberação de grandes quantidades de energia a fim de estabelecer uma razão de causa e efeito com a necessidade mais premente.

Este acúmulo de energia que é liberado é suficiente para despertar uma avalanche de sensações que são desencadeadas sobre os órgãos internos e sensores ao longo da estrutura corpórea.

Um movimento de excitação hormonal libera substâncias químicas em larga escala para promover uma super ativação cerebral.

Então tudo parece fluir de forma mais intensa. A dor que se sente é mais prolixa, a excitação é mais vigorosa, a alegria varia mais as transformações impostas pela sensação do extravasamento.

Um suspiro diz muito mais do que uma simples respiração. Um pulsar de um coração uma sensação que remete a uma profunda significância em si viver.

Então surge um desejo intenso para que o referencial tome corpo em sua frente. Na dor, não se deseja a ausência; na alegria, se deseja a fluidez do pensamento, no sofrimento de deseja libertar da sensação que aprisiona a mente.

E uma instabilidade emocional pode perdurar enquanto tiver motivação e energia suficiente para que seu ciclo se renove.

A semântica da construção do pensamento pode ser vir como um canal para gerar seguidas manifestações de instabilidade e fazer com que as alterações sensoriais possam ser observadas mais ativamente.

Quando uma pessoa está instável emocionalmente não se consegue muito controle sobre a tomada de decisão. Então é importante que o acompanhamento por parte de alguém de confiança do convívio deste indivíduo venha a contribuir para que a afetação sensorial não induza a ações que no futuro possam gerar arrependimento por parte da pessoa afetada.

A impulsão do agir é muito mais célere em momentos que o indivíduo está instável emocionalmente.

Porque existe um desejo de liberar o excesso de energia que está a fluir no organismo humano e quando as oportunidades em gerar tais saídas acontecem, a canalização motora abastece o intelecto com as informações de projeções que foram ativas de forma mais momentânea a perfilar um rol de intenções que se cristalizam como uma apreensão imediata.

A instabilidade emocional pode ser momentânea ou se apresentar evolutivamente na forma de ciclos. Geralmente promover o balanceamento hídrico nas horas mais difíceis muito contribui para harmonizar novamente o biológico.

Estados alterados de consciências são muito mais expansivos quando um indivíduo está passando por um processo de instabilidade emocional.

Quando tais estados de afetação tendem a serem muito recorrentes é sinal que o indivíduo deve procurar desenvolver a sua cognição para não deixar-se afetar negativamente por sequências de pensamentos que induzem a agravar ainda mais as sensações que não refletem sentimentos que colaborem para o desenvolvimento continuado deste indivíduo.

A significação que algo mínimo tem para uma pessoa em crise pode representar uma amplitude muito grande se comparado a um estado de reação baseado em processos racionais.

O contato com a pessoa instável emocionalmente que reflita um porto seguro pode reduzir sensações negativas que se avolumam numa escala de afetação exponencial.

O equilíbrio da emoção se conquista com o aprendizado sensorial do corpo humano. Com o avanço da idade o indivíduo vai assimilando como o seu organismo é capaz de se comportar na relação consigo mesmo. E a reprodução dos fenômenos sensoriais de fórum emocionais torna-se apenas a realização de estímulos organizados em escala funcionais que colaboram para a fixação estável de um desejo e sentido humano do existir.

Quando a emoção é parceria da razão, então um sistema híbrido de alta significação de inteligência aflora para suprir as necessidades vitais criando uma atmosfera lúdica que a partilha que congrega sensações e raciocínios é capaz de criar, uma dinâmica que transmite um senso de humanidade a tudo que se compartilha sensorialmente quando se pretende permutar reações como base de troca e partilha entre os seres. A emoção é a base para a vida feliz. A razão é a base para a vida harmoniosa. O biângulo emoção-razão e a base para uma vida integrada solidificada na projeção de um valor humano.

Fonte: Max Diniz Cruzeiro

Noticias relacionadas

Banner Ale

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias