INVESTIGAÇÃO: MAIS UM SUSPEITO DO ASSASSINATO DA JOVEM NAIARA KARINE FOI PRESO - News Rondônia Segundo o presidente do inquérito e delegado da Delegacia de Patrimônio, Nestor Romanzini, o vigilante Marco Antônio Chaves da Silva, de 40 anos é o principal suspeito do caso.

Porto Velho,

Terça-Feira , 16 de Julho de 2013 - 21:38 - Polícia


 

INVESTIGAÇÃO: MAIS UM SUSPEITO DO ASSASSINATO DA JOVEM NAIARA KARINE FOI PRESO

Segundo o presidente do inquérito e delegado da Delegacia de Patrimônio, Nestor Romanzini, o vigilante Marco Antônio Chaves da Silva, de 40 anos é o principal suspeito do caso.

ImprimirImprimir página

Em entrevista coletiva realizada na tarde de terça-feira (16), a Polícia Civil apresentou aos jornalistas mais um suspeito de ter envolvimento no caso da jovem Naiara Karine, de 18 anos, morta com mais de 20 facadas no início deste ano. O corpo da vitima foi encontrado pela polícia,  na Zona Rural de Porto Velho em um sitio abandonado, a 10 km da Estrada da Penal.

Segundo o presidente do inquérito e delegado da Delegacia de Patrimônio, Nestor Romanzini, o vigilante Marco Antônio Chaves da Silva, de 40 anos é o principal suspeito do caso. “Temos provas contundentes e indícios veementes que o autor do caso Naiara esta atrás das grades. Tatuagens nas mãos, a impressão digital do suspeito que ficou no celular da vítima e a cueca utilizada pelo autor do crime foram fundamentais para desvendar o caso”, explicou.

As investigações exigiram a atuação conjunta de vários setores da Polícia Civil, que nesta terça-feira cumpriram dois mandados de busca e apreensão, sendo um na casa do suspeito e outra na residência da mãe dele.

Nos locais foram apreendidos vídeos pornográficos, quatro canivetes, uma filmadora, diversas camisinhas, um notebook e a cueca utilizada pelo suspeito no dia do crime. “A impressão digital e um vídeo de 24 segundos feito pelo estuprador ajudaram para esclarecer o caso e levar justiça pra sociedade”, relatou o Secretário de Segurança Pública, Marcelo Bessa.

Mesmo com a prisão preventiva decretada, a polícia informou também que o caso não está encerrado, devendo ser concluído o inquérito em 10 dias. “Não descartamos o envolvimento de outras pessoas, até porque algumas provas precisamos manter em segredo até o final da investigação”, disse o diretor Executivo da Polícia Civil.

Fonte: News Rondônia

Comentários do Facebook

Comentários

Enviar comentário

Veja Também

Publicidade