Sexta-Feira, 19 de Janeiro de 2018 - 17:16 (Meio Ambiente e Ecologia)

L
LIVRE

INICIATIVAS DOS AGRICULTORES FAMILIARES VOLTADAS AOS SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS SÃO RECONHECIDAS COM REMUNERAÇÃO FINANCEIRA EM RONDÔNIA

Em Machadinho do Oeste, 113 produtores participantes do projeto receberam na manhã desta sexta-feira (18) do Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia – Rioterra os seus pagamentos como incentivo ambiental.


Imprimir página

Em Rondônia, as iniciativas dos agricultores familiares e assentados da reforma agrária que favorecem a manutenção, recuperação e melhoramento dos serviços ecossistêmicos são reconhecidos com remuneração financeira por meio do projeto Quintais Amazônicos. Em Machadinho do Oeste, 113 produtores  participantes do projeto receberam na manhã desta sexta-feira (18) do Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia – Rioterra os seus pagamentos como incentivo ambiental.

“Eu aprendi com o projeto que o relacionamento entre a terra e a economia tem de ser harmonioso e que essa união, além de proteger o meio ambiente, é muito rentável”, conta o produtor rural Monclara de Souza Faria, que em três anos, ao aderir ao sistema agro-silvo-pastoril, recuperou 5 hectares de área degrada e plantou milho em 1 hectare, o que rendeu a ele no ano passado a produção de 60 toneladas de silagem de milho, gerando uma economia de R$ 30 mil na alimentação do seu gado. “Este ano vou plantar mais 2 hectares de milho”, comemora Faria.

Nesta primeira edição, além de Machadinho do Oeste, o Quintais Amazônicos também atende os municípios de Cujubim e Itapuã do Oeste. Ao todo são 184 agricultores familiares participando do projeto.

Cristiano Arrabal foi um dos 113 produtores de Machadinho que receberam o certificado de boas praticas por conservação do meio ambiente e o pagamento do serviços ambientais no valor de R$ 531,70, que entre outras iniciativas, apostou no sistema agro-florestal e plantou 1 hectare de maracujá, o que rendeu 800 quilos de polpa. “Esse incentivo vou investir na minha terra”.

O chacareiro Pascoal da Silva disse que agora cultiva sua terra com responsabilidade. Ele recuperou 1 hectare de área degradada com plantação de café clonal, castanha do Brasil e urucum na pequena propriedade que possui na Linha –MP 39, há 15 quilômetros do distrito de 5º Bec. “Além de conseguir uma renda, estou contribuindo com o meio ambiente e com as gerações futuras da humanidade”.

O governador Confúcio Moura parabenizou a equipe do projeto pela iniciativa, disse que todas as ações voltadas a preservação do meio ambiente devem ser reconhecidas e incentivadas, pois  grande desafio da humanidade é promover o desenvolvimento sustentável de forma rápida e eficiente. “Nos próximos dias, estaremos enviando a Assembleia Legislativa  um projeto de Lei  criando o pagamento de serviços ambientais como incentivo aos pequenos produtores rurais”, anunciou Confúcio.

O Quintais Amazônicos foi idealizado pelo  Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia – Rioterra e iniciada as atividades em 2014, com recursos  financeiro de R$ 9 milhões do Fundo Amazônia, administrado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e mais R$ 1 milhão de contra partida.

O projeto promove o desenvolvimento de Sistemas Agroflorestais (SAFs) para a recuperação de áreas desmatadas e geração de renda a partir do plantio e da realização de pesquisas de culturas selecionadas e adaptadas ao tipo de solo e clima da região.

Segundo o coordenador de projetos do Rioterra, Alexis Souza Bastos, entre as principais metas alcançadas nestes quase quatro anos, foram distribuídas milhares mudas de espécies florestais e frutíferas aos produtores rurais desses municípios, recuperados mais de 740 hectares de áreas degradadas ou alteradas em 505 propriedades, apoio à regularização ambiental de propriedades mediante a realização do Cadastramento Ambiental Rural (CAR) para agricultores familiares e a promoção de cursos de capacitação voltados à geração de renda dos pequenos produtores.

O projeto Quintais Amazônicos é resultado da parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Sedam); Prefeituras de Itapuã do Oeste, Cujubim e Machadinho; Universidade Federal de Rondônia (Unir); Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/INPA; e Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária/Incra.

Além da presença do governador Confúcio Moura, o evento promovido pelo Rioterra  contou com a participação maciça dos produtores rurais, prefeito dos municípios de Machadinho do Oeste e Cujubim,  deputado estadual Saulo Moreira e deputado federal, Lucio Mosquini.

Fonte: 010 - SECOM - GOV/RO

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias