EM NOVA AUDIÊNCIA, ACUSADO DE MATAR NAIARA KARINE NEGA ENVOLVIMENTO DE JAQUELINE CASSOL NO CRIME - News Rondônia Acompanhado de seu advogado Janor Ferreira da Silva – OAB/RO 3081, Marco revelou que participaram do crime outros três homens, sendo eles Francisco da Silva Plácido, Roniclei Ferreira dos Santos e Richardison Bruno Mamede das Chagas. Marco indicou ainda a suposta participação de Wagner Strogulski de Souza.

Porto Velho,

Sexta-Feira , 27 de Setembro de 2013 - 17:50 - Polícia


 

EM NOVA AUDIÊNCIA, ACUSADO DE MATAR NAIARA KARINE NEGA ENVOLVIMENTO DE JAQUELINE CASSOL NO CRIME

Acompanhado de seu advogado Janor Ferreira da Silva – OAB/RO 3081, Marco revelou que participaram do crime outros três homens, sendo eles Francisco da Silva Plácido, Roniclei Ferreira dos Santos e Richardison Bruno Mamede das Chagas. Marco indicou ainda a suposta participação de Wagner Strogulski de Souza.

ImprimirImprimir página

Em audiência de instrução e julgamento realizada nesta sexta-feira (27) na 1ª vara do Fórum Criminal de Porto Velho, o preso Marco Antônio Chaves da Silva, 38 anos, revelou novos fatos relevantes no que se refere ao bárbaro crime cometido contra a jovem Naiara Karine, fato este ocorrido no dia 24 de Janeiro de 2013.

Acompanhado de seu advogado Janor Ferreira da Silva – OAB/RO 3081, Marco revelou que participaram do crime outros três homens, sendo eles Francisco da Silva Plácido, Roniclei Ferreira dos Santos e Richardison Bruno Mamede das Chagas. Marco indicou ainda a suposta participação de Wagner Strogulski de Souza.

Na tarde de ontem, Policiais Civis da Delegacia de patrimônio deram cumprimento ao mandado de prisão contra Richardison Bruno Mamede das Chagas, agente penitenciário que foi preso em casa. Segundo Marco Antônio, Francisco Plácido fora o responsável por levar todos até o local onde aconteceria o crime, utilizando para isso, um veículo VW Gol quadrado de cor branca. O único a não ir no  carro, foi o suspeito Richardison Bruno, que foi para o local do fato em uma motocicleta HONDA Fan de cor preta, sendo tal motocicleta de propriedade de Marco Antônio.

Marco Antônio disse ainda que foi Richardison quem abordou Naiara, na esquina da Rua Imigrantes com Décima avenida, próximo à uma praça. Posteriormente, ambos seguiram até o local onde seria cometida a barbárie.

Já no local do crime, Francisco Plácido ficou no interior do veículo Gol, na estrada, distante cerca de 30 metros do local exato do fato, onde estavam presentes Richardison Bruno, Roniclei,  Naiara Karine e Wagner Strogulski, além de Marco Antônio.

Ainda segundo o depoimento de Marco, o agente penitenciário Richardison era quem dava as ordens de como tudo iria acontecer, sendo que ele disse ainda, que no local eles iriam realizar uma orgia com a vítima Naiara Karine. De posse de uma pistola, Richardison ordenou para que Naiara tirasse a roupa, e a vítima o fez.

Segundo consta no interrogatório, Wagner Strogulski foi o primeiro a cometer abuso sexual contra Naiara, posteriormente, foi a vez de Roniclei praticar o ato. Logo em seguida, Naiara foi obrigada a praticar sexo oral em Marco Antônio, tendo em vista que o acusado não tinha preservativo. Richardison começou a filmar o sexo oral, momento em que um celular que estava em uma gandola sobre o guidão da moto começou a tocar, sendo este pego por Marcos, que alega ter visto claramente o nome “Bruno Cassol”, como sendo o solicitante da chamada.

Marco não sabe informar se Bruno Cassol tem algum envolvimento com o crime, porém, tomou conhecimento que todo o crime cometido  contra Naiara fora tramado há um certo tempo, e que uma mulher havia encomendado a morte da jovem para Roniclei. Richardison retirou o celular da mão de Marcos, e passou para Roniclei, que rejeitou a chamada.

Logo após Naiara praticar o sexo oral em Marco Antônio, Richardison ordenou para que ela se vestisse. Após o fazer, Naiara fora surpreendida por Richardison, que utilizando um cordão tipo fita grossa estrangulou a jovem, deitando-a, lhe segurando pelo cabelo e cordão.

Em seguida, Richardison retirou uma faca de cor preta, tipo punhal com lâmina de inox e base tipo suporte de espada, desferindo uma facada no peito da vítima que não esboçou nenhuma reação, possivelmente por estar desacordada. Richardison ainda desferiu outras 21 facadas no corpo da jovem, fugindo em seguida na motocicleta.

Roniclei comentou que em relação ao dinheiro, Wagner seria o responsável de ligar para uma mulher, que havia encomendado o susto em Naiara. Marco disse ainda que receberia R$1.500,00 pelo serviço, e que pegaria este dinheiro com Plácido.

O advogado de defesa disse que seu cliente ouviu claramente quando Richardison afirmou que “Este crime vai custar muito caro para o Bruno Cassol!”. Janor Ferreira disse ainda que, seu cliente declarou com firmeza para o Juiz, que Jaqueline Cassol nunca teve nenhum envolvimento com o assassinato de Naiara Karine.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Fonte: Julio Malta /NEWSRONDONIA

Comentários do Facebook

Comentários

Enviar comentário

Veja Também

Publicidade